Jitaúna: Primeira sessão solene esteve lotada no inicio dos trabalhos legislativos de 2013

28/02/2013 12:46

 

Jitaúna: Primeira sessão solene esteve lotada no inicio dos trabalhos legislativos de 2013

Da Redação, Neilton Brito 

27/02/2013 - Quarta

Presidente Neres Costa se destacou na primeira sessão solene. (Fotos:Neilton Brito)

Foi realizada na noite de terça-feira (26), com inicio ás 20hs00 a primeira Sessão Solene que marcou o inicio dos trabalhos da Câmara Municipal de Jitaúna. O auditório do parlamento ficou repleto de lideranças politicas, eclesiásticas, militantes, empresários e representantes de diversos segmentos da sociedade organizada.

A sessão foi presidida por Adinailson Marcedo a pedido do Presidente, Neres Costa, estiveram presentes no dispositivo o Prefeito Edson Silva e o Vice-prefeito Joaquim Hilário. A abertura teve inicio com a Execução do Hino Nacional. O pastor da Igreja Batista, Volfram proferiu a benção ecumênica. Estiveram presentes Jonas Almeida representando a prefeita Tânia Britto de Jequié e Marcos Neves representando o deputado Euclides Fernandes.

No uso da palavra os vereadores, Anselmo, Carlito, Dica, Gerlan, Bafafá, Adauto, Xico, Rúbia agradeceram a presença maciça dos cidadãos no auditório da Câmara Municipal. Todos disseram que é uma verdadeira demonstração do interesse da municipalidade de participar efetiva e ativamente de todas as atividades parlamentares que visem à melhoria de todos os serviços públicos. Vereadores no uso de suas palavras parabenizaram o presidente Neres Costa pela reforma na câmara que recebeu dois novos ar-condicionado e uma pintura na parte interna.

Já o presidente Neres Costa em sua fala disse que todos estão empenhados em trabalhar em busca da melhoria para o povo desta terra. O Prefeito Edson usou a tribuna e enfatizou a importância da reciprocidade de confiança, respeito e comprometimento dos poderes constituídos para que o município continue neste franco processo de desenvolvimento.  (Jitaúna Em Dia)

Vigilantes não aderiram à paralisação na região e bancos funcionam normalmente

Da Redação, Neilton Brito 

27/02/2013 - Quarta

Vigilantes do Banco de Jitaúna não aderiram a paralização. (Foto: Jitaúna Em Dia)

Os vigilantes das agências bancárias de Jitaúna, Ipiaú e região não aderiram à paralisação estadual da categoria, iniciada ontem, terça-feira (26). Os bancos públicos e privados funcionam normalmente em toda a região. O Sindicato dos Bancários de Jequié e Região ainda não se manifestaram sobre o movimento, deflagrado até o momento em Salvador, Juazeiro, Feira de Santana e Itabuna.

Em Vitória da Conquista, o representante do Sindicato dos Vigilantes, João Gervásio, esclareceu que a greve pode ser deflagrada a partir desta quarta-feira (27) na região Sudoeste.

A greve é um protesto contra a falta de pagamento do adicional de periculosidade de 30%, garantido por lei desde dezembro de 2012. Com o serviço de segurança paralisado alguns bancos tiveram o funcionamento suspenso nas cidades em que os vigilantes protestam a exemplo de Itabuna, no Sul baiano.

Itagí: CPI deve ser aberta para apurar denúncias contra vereadores

Da Redação, Neilton Brito 

27/02/2013 - Quarta

Vereadores de Itagí pediram a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), para investigar denúncias de improbidade administrativa contra os vereadores Alex e Evaldo Nascimento. O pedido de investigação aconteceu de maneira inédita, já na segunda sessão do ano, o Presidente da Câmara de Vereadores de Itagí, Ismael Aguiar, abriu os trabalhos na noite de terça feira (26) pedindo a aberturada CPI, que foi aprovada imediatamente.

O vereador Alex apresentou diferenças gritantes de valores em notas de compras e prestações de serviços contratadas pela Câmara na época em que o vereador Edvaldo estava como presidente. O vereador Edvaldo também ousou a tribuna para apontar erros cometidos pelo colega quando era secretário na gestão da ex-presidente da casa, a vereadora Ana Paula.

O presidente Ismael Aguiar convocou uma reunião com as comissões, para esta quarta (27) a noite, com as portas fechadas para decidir como vai proceder as investigações. Se a justiça acatar as denuncias os vereadores poderão perder seus mandatos. (Junior Mascote)